Transtorno Sensorial e TDAH

Transtorno Sensorial e TDAH

Por Gizela Leite
Terapeuta Ocupacional
Formadora do Instituto AutismoS
Este mês de julho no dia 13 comemoramos o dia do TDAH. Esta data foi escolhida para divulgar e esclarecer o que é este transtorno que atinge pessoas em todo o mundo, inclusiva no nosso país. Segundo a Associação Brasileira de TDAH - ABDA, “o transtorno mais comum em crianças e adolescentes encaminhados para serviços especializados. Ele ocorre em 3 a 5% das crianças, em várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos”. (ABDA, 2007).

Mas afinal de contas o que é este transtorno? Segundo a ABDA o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Caracterizado por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.

O Transtornos do Espectro Autista -TEA e o TDAH apresentam características comuns. Logo uma das comorbidades do TDAH é o próprio TEA. Eles apresentam estereotipias, hiperatividades, desatenção, agitação psicomotora.

Estas característica citadas acima são desordens do processamento sensorial que afetam a vida das pessoas. Elas interferem em seus papeis ocupacionais: família, escola e sociedade.

Shimizu, (2012) relata que conforme estudos podemos disser que, as crianças com TDAH, podem apresentar problemas de atenção, impulsividade e hiperatividade, mas também dificuldades relacionadas aos aspectos motores como uma pobre coordenação motora e equilíbrio, pobre habilidade viso-motora, dificuldades no planejamento motor, assim como maior nível de atividade e menor limiar para os estímulos sensoriais na infância. Estas condições normalmente estão relacionadas a desordem do processamento sensorial, uma vez que este pode afetar o desempenho motor, bem como comportamental da criança, incluindo sua capacidade de atender, aprender, organizar e manter apropriado nível de atividade.

Quando se fala no processo de aprendizagem, temos de pensar na integridade do processamento sensorial, que está relacionado na forma como o ser humano, recebe e processa estes estímulos do ambiente e dos movimentos do seu corpo, e como processar estas informações para ter as respostas adaptativas adequadas. Quando ocorre a disfunção sensorial e o processamento não ocorre como deve, temos comprometido o planejamento e produção do comportamento ou movimento, podendo desencadear comprometimentos no desempenho motor, dificuldades da criança se organizar e manter a atenção, bem como dificuldades na aprendizagem escolar.

Pensando nisto temos algumas dicas para compartilhar com vocês pais e professores.

Em sala de aula, este aluno não deve sentar perto da janela, pois a sua capacidade de concentração é pequena e qualquer estimulo o distrai, imagine o que pode fazer com uma janela ao seu alcance.
Quanto a agitação psicomotora comum nestes casos, o ideal seria uma carteira onde o assento fosse uma bicicleta, mas infelizmente não conseguimos isso né. Mas pode ficar sentado em uma bola de pilates, ter um meia com peso em seu colo. Todas estas estratégias trabalhamos o sistema proprioceptivo onde o corpo fica focado e na sua posição e com isso aumentamos a capacidade de concentração do aluno.
Ter este aluo como um ajudante, pois assimile poderá caminhar pela sala ou até mesmo sair dela mas com uma função especifica. Desta maneira realiza uma descarga motora e aumenta a sua autoestima.
Caso as alterações de comportamento sejam um problema fazer o quadro de gratificações para este aluno estimulando o bom comportamento para ao final do mês receber uma bonificação.
Trabalhar com quadro de rotinas para facilitar a orientação no tempo e espaço deste aluno e dos demais colegas. Aqui também podemos trabalhar as regras da sala de aula que toda a turma deve seguir, mas o importante é ser construída no coletivo e não ser importa.
Desta forma ajudamos no processamento sensorial de alguns sintomas do TDAH, facilitando o seu processo de aprendizagem e possibilitando que possam exercer seus papeis sociais dento da sociedade que vivemos. Então vamos respeitar as diferenças e aprende com elas visando a construção de um mundo inclusivo de verdade.

Referências:

https://tdah.org.br/diagnostico-criancas/

SHIMIZU, V.T., MIRANDA, M.C. Processamento sensorial na criança com TDAH: uma revisão de literatura. Rev. psicopedag. vol.29 no.89 São Paulo 2012 In: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862012000200009